Sermões de Cura D’Ars: Juízo Final – Parte 6

 

É a última parte desta série das pregações de São João Maria Vianney sobre o Juízo Final :

 

 

 

 

 

Falecimento do Pe. Stefano Gobbi

Faleceu hoje na Itália, às 15:00 hs o nosso querido Pe. Stefano Gobbi aos 82 anos.

Ele, a pedido de Nossa Senhora de Fátima,  deu início e levou ao mundo inteiro os Cenáculos do Movimento Sacerdotal Mariano. Acompanhado, inclusive, durante 25 anos com as mensagens dadas em forma de locução interior  por Nossa Senhora, que estão no livro: << AOS SACERDOTES, FILHOS PREDILETOS DE NOSSA SENHORA >>.

O Movimento Sacerdotal Mariano é todo ele  uma incitiva única de Nossa Senhora de Fátima, que se valeu do Pe Gobbi – que já vivi a sua Páscoa a partir de hoje  – para que  ela pudesse se manifestar com o triunfo do seu Coração Imaculado no mundo, a começar na vida dos Sacerdotes,  a quem os chama – carinhosamente – em diversas das suas  mensagens de seus filhos prediletos.

Tivemos a alegria de podermos estar com o Pe. Stefano Gobbi no ano passado no dia do seu aniversário, num encontro no Ibirapuera em São Paulo.

Que os cenáculos, sobretudo com os Sacerdotes, possam a partir de agora alcançar um vigor ainda maior nas Dioceses do mundo inteiro, quando podemos agora  contar com a intercessão do Pe. Gobbi junto dos santos de Deus.

 

 

Muito Obrigado Pe. Gobbi pelo seu trabalho incansável em favor do Sacerdócio, na sua missão de levar o Movimento Sacerdotal Mariano no mundo inteiro !!!

 

 

Pedro, tú és pedra e sobre ti edificarei a minha Igreja !!!

 

<< (…) Estes são os tempos. Os vossos dias  são marcados por esta dolorosa e significativa situação que vos foi predita na Sagrada Escritura: a verdadeira fé esta desaparecendo em um número sempre maior de meus filhos.

As causas da perda  fé são:

1.  A difusão dos erros, que são propagados e frequentemente ensinados por professores de teologia em seminários e escolas católicas, e que adquirem assim um certo caráter de veracidade e legitimidade.

2. A rebelião aberta e pública ao Magistério autentico da Igreja, sobretudo ao Papa, que recebeu de Cristo a missão de manter toda a Igreja na verdade da fé católica.

3. O mau exemplo dado pelos Pastores que se deixaram possuir completamente pelo espírito do mundo e tornam-se propagadores de ideologias politicas e sociais, ao invés de anunciadores de Cristo e de seu Evangelho, esquecendo-se assim do mandamento d’Ele recebido: << IDE POR TODO MUNDO E PREGAI O EVANGELHO A TODA  CRIATURA  >> .    

Assim, nestes vossos dias, espalha-se sempre mais a apostasia por parte de tantos dos meus pobres filhos. (…)

Mensagem de Nossa Senhora de Fátima  dada em forma de locução interior ao Pe. Stefano Gobbi em 13 de Março de 1990 – Movimento Sacerdotal Mariano

 

30 anos de Aparições consecutivas de Nossa Senhora em Medjugorje

 

Onde existe a ambundância do pecado,  nós esperamos e cremos pelas superabundâncias das graças da Misericórdia do nosso Deus.

 

Vale a pena ver estas imagens do céu de Medjugorje  !!!

 

 

Embora seja algo inusitado na história da Igreja, uma aparição de Nossa Senhora assim de 3 décadas de duração, e com tantos sinais, ela é ignorada por muitos Sacerdotes, até desacreditada e tratada com escárnio.   Se o pastor que é o pastor não olha com atenção esta manifestação sobrenatural de Nossa Senhora  que esta contecendo  nos dias de hoje, como ficam as ovelhas, as almas que estão sobre sua responsabilidade? 

Na essência das mensagens de Nossa Senhora em Medjugorje  existe  um apêlo da nossa Mãe do Céu urgente para a conversão da humanidade e um retorno para os sacramentos. Ela esta se apresentando ao mundo como Nossa Senhora Rainha da Paz !!!

 

 

Sermões de Cura D’Ars: Juízo Final – Parte 5

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

A Eucaristia é o coração da Igreja !!!

 

 

 

Queridos irmãos e irmãs!

Hoje, na Itália e em outros Países, celebra-se o Corpus Domini, a festa da Eucaristia, o Sacramento do Corpo e Sangue do Senhor, que Ele instituiu na Última Ceia e que constitui o tesouro mais precioso da Igreja. A Eucaristia é como o coração pulsante que dá vida a todo o corpo místico da Igreja: um organismo social completamente baseado sobre o laço espiritual, mas concreto, com Cristo. Como afirma o Apóstolo Paulo: “Uma vez que há um único pão, nós, embora sendo muitos, formamos um só corpo, porque todos nós comungamos do mesmo pão” (1Cor 10,17). Sem a Eucaristia, a Igreja simplesmente não existiria. É a Eucaristia, de fato, que faz de uma comunidade humana um mistério de comunhão, capaz de levar Deus ao mundo e o mundo a Deus. O Espírito Santo, que transforma o pão e o vinho no Corpo e Sangue de Cristo, transforma também quantos o recebem com fé em membros do corpo de Cristo, tanto que a Igreja é realmente sacramento de unidade dos homens com Deus e deles entre si. Em uma cultura sempre mais individualista, como aquela em que estamos inseridos nas sociedades ocidentais, e que tende a difundir-se em todo o mundo, a Eucaristia constitui-se como uma espécie de “antídoto”, que age nas mentes e nos corações dos fiéis e continuamente semeia nesses a lógica da comunhão, do serviço, da partilha, em suma, a lógica do Evangelho. Os primeiros cristãos, em Jerusalém, eram um sinal evidente desse novo estilo de vida, porque viviam em fraternidade e colocavam em comum os seus bens, a fim de que nenhum fosse indigente (cf. At 2,42-47). De que deriva tudo isso? Da Eucaristia, isto é, de Cristo ressuscitado, realmente presente em meio aos seus discípulos e operante com a força do Espírito Santo. E também nas gerações seguintes, através dos séculos, a Igreja, apesar dos limites e erros humanos, continuou a ser no mundo uma força de comunhão. Pensemos especialmente nos períodos mais difíceis, de prova: o que significou, por exemplo, para os Países submetidos a regimes totalitários, a possibilidade de reencontrar-se na Missa Dominical! Como diziam os antigos mártires de Abitene: “Sine Dominico non possumus” – sem o “Dominicum”, isto é, sem a Eucaristia dominical não podemos viver. Mas o vazio produzido pela falsa liberdade pode ser muito perigoso, e então a comunhão com o Corpo de Cristo é remédio para a inteligência e a vontade, para reencontrar o gosto pela verdade e pelo bem comum.

Queridos amigos, invoquemos a Virgem Maria, que o meu Predecessor, o Beato João Paulo II, definiu “Mulher eucarística” (Ecclesia de Eucharistia, 53-58). Na sua escola, também a nossa vida torne-se plenamente “eucarística”, aberta a Deus e aos outros, capaz de transformar o mal em bem com a força do amor, esforçada em favorecer a unidade, a comunhão, a fraternidade.

Papa  Bento XVI