Jesus permanece em agonia por conta dos maus Sacerdotes !

  

 

Carta de Padre Pio ao  seu diretor espiritual Pe. Agostinho de S. Marcos in Lamis:

“Pietrelcina, 07 de abril de 1913.

 J.M.I.F.

Meu caríssimo padre,

Sexta feira de manhã (28/03/1913) estava ainda na cama, quando me apareceu Jesus. Estava todo maltratado, desfigurado. Ele me mostrou uma grande multidão de sacerdotes religiosos e seculares, entre os quais diversos dignitários eclesiásticos; – destes, uns estavam celebrando, outros  paramentando-se, outros ainda depondo os paramentos.

A visão de Jesus em angústias dava-me muita pena, por isso quis perguntar-lhe porque sofria tanto. Não obtive nenhuma resposta. Porém, o seu olhar dirigiu-se àqueles sacerdotes; – um pouco depois, quase horrorizado e como se estivesse cansado de olhar, desviou o olhar voltando-o para mim, – com grande horror meu, observei duas lágrimas que lhe escorriam pela face. Afastou-se daquela turba de sacerdotes com uma grande expressão de desgosto no rosto, gritando: “Açougueiros!”. E, dirigindo-se para mim, disse: “Filho meu, não creias  que a minha agonia tenha durado três horas, não;  eu, por causa das almas por mim mais agraciadas, estarei em agonia até o fim do mundo. Durante o tempo da minha agonia, filho meu, não se deve dormir. A minha alma vai em busca de alguma gota de piedade humana, mas, ai de mim, deixam-me sozinho sob o peso da indiferença. A ingratidão e o sono dos meus ministros causam-me a mais pavorosa agonia.

Ai de mim, como correspondem mal ao meu amor! O que mais me aflige é que eles ao seu indiferentismo acrescentam o próprio desprezo, a incredulidade. Quantas vezes estive na iminência de fulmina-los, não fosse impedido pelos anjos e pelas almas enamoradas… Escreve ao teu padre (diretor espiritual, Agostinho)  e conta-lhe o que viste e ouviste de mim nesta manhã. Diz-lhe que mostre a tua carta ao padre provincial..(Pe. Bento de São Marcos in Lamis, que também é diretor espiritual).” 

Jesus continuou ainda, mas aquilo que ele disse não poderei revela-lo a criatura alguma deste mundo. Esta aparição causou-me tal dor no corpo, mas mais ainda na alma, de tal forma que durante todo o dia fiquei prostrado e acreditava morrer se o dulcíssimo Jesus não me tivesse revelado…”.

Infelizmente, Jesus tem razão de queixar-se da nossa ingratidão! Quantos desgraçados nossos irmãos correspondem a Jesus com jogar-se de braços abertos na infame seita da maçonaria! Oremos por eles a fim de que o Senhor ilumine suas mentes e toque os seus  corações. Daí coragem ao nosso padre provincial, que receberá do Senhor abundante ajuda. O bem da nossa província deve ser sua constante aspiração. Para tanto devem  tender todos os esforços dele. Para tal fim devem  ser endereçadas nossas orações, todos somos obrigados a isso.  

Na reorganização da província não faltarão ao provincial as dificuldades, os incômodos, as fadigas; porém,não se deixe perder de ânimo; o piedoso Jesus o sustentará na empresa.

A guerra dos demônios vai-se intensificando cada vez mais, mas, com a ajuda de Deus, não os temerei.

Saúda por mim o padre provincial e agradece-lhe pelas intenções de missa.

Padre Pio de Pietrelcina – Epistolário I, p. 350-353.

Enviado por Pe. Bernardino

 

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: